Arquivo para julho 2010

Lindas e talentosas 4 – Pity

28 de julho de 2010

Primeira brasileira da série.
Sempre gostei das músicas dela, mas num belo dia assisti uma entrevista e virei fã dessa mulher. Além de linda e talentosa ainda é uma mulher decidida, forte, batalhadora e totalmente transparente. Fala o que pensa e não tenta agradar ninguém. Essa é a minha música preferida dela.

Anúncios

Ansioso?

21 de julho de 2010

Era por volta de meio-dia. Roberto liga para sua namorada:
– Oi meu bem.
– Oi gatinho!
– Tudo bem?
– Tudo e você?
– Tudo. Já almoçou?
– Estou indo agora. Melhorou da garganta?
– To melhor sim, ainda bem. Assim podemos beber amanhã.
– Verdade. Senão ia ter que beber sozinha. (riso)
– Bom, eu vou almoçar também, deixa te falar. Vou sair daqui hoje um pouco mais tarde tá bom? Acho que lá pelas oito da noite. Preciso terminar uns relatórios.
– Poxa meu bem, tadinho de você. Mas tudo bem então. Eu te ligo a noite pra gente conversar depois que voltar da academia tá?
– Tá bom gatinha. Eu espero então. Beijo!
– Beijo e bom trabalho tá bom?
– Obrigado!
– Tchau!
– Tchau!
Roberto fica então no escritório até as sete e cinquenta da noite, sai de lá e vai para sua casa. Sua vontade é de ligar imediatamente para sua amada, mas como ela prometera ligar ele decide aguardar. Não quer demonstrar tanta ansiedade assim.
Ele toma banho, assiste ao jornal na tv, lê um pouco de um livro e a cada cinco minutos olha para o celular.
Começa a pensar e se perguntar: será que ela foi para outro lugar? Será que está com outra pessoa?
Mas pensa em seguida: não, ela deve ter passado em algum lugar na volta ou mesmo está em casa já e vai ligar daqui a pouco.
O relógio atinge a marca das  nove e quarenta. Ele decide que se ela não ligar até as dez ele ligará. Faltando cinco minutos para as dez começa a olhar o relógio a cada trinta segundos. Faltando um minuto para as dez pega o telefone e liga.
Depois de vários toques ouve o aviso da caixa postal.
Seu estômago se revira e seu coração dispara. Disparam também os pensamentos em sua cabeça:
Ela saiu com as amigas. Ela está com outro. Ela não gosta mais de mim. O que foi que eu fiz? Mas ela me tratou tão carinhosa no telefone. Mas ontem ela falou que uma amiga dela tinha ligado, só pode ser isso.
Roberto entra em parafuso. Tenta ligar mais cinco vezes sem sucesso. Resolve ir dormir e pensar que ela simplesmente se esqueceu de ligar, chegou tarde por algum motivo e achou melhor não ligar ou outra coisa parecida. Mas sua cabeça insiste na tese de que algo aconteceu. E se ela se acidentou? E se foi sequestrada. Pensa em ligar a TV para ver se ouve alguma notícia, mas acaba vendo que está exagerando.
Demora quase uma hora para dormir. Acorda as três com pesadelo, as quatro para ir ao banheiro e as seis e meia para olhar novamente no celular. Cada vez que volta a dormir sua cabeça martela aqueles mesmos pensamentos de antes de se deitar. Por fim as sete se levanta. Toma seu café da manhã sem muita vontade e quando se preparava para sair ao pegar o celular vê escrito no visor: ” 1 mensagem recebida”.
Aperta rapidamente os botões e lê:
“Bom dia meu anjo. Ontem cheguei em casa e acabei pegando no sono antes de te ligar. O celular estava no silencioso desde manhã por isso não ouvi suas ligações. Bjo.”
Ele relê a mensagem mais quatro vezes, guarda o celular no bolso e vai trabalhar.
Na hora do almoço liga para ela novamente:
– Oi linda, tudo bem?
– Tudo e você?
– Tudo. Onde nós vamos hoje então?

Cenas para recordar 1

20 de julho de 2010

A cena abaixo faz parte do filme Antes do Amanhecer. Um filme belíssimo que me conquistou por sua simplicidade e sensibilidade na forma como mostra duas pessoas se apaixonando. A cena mostra então esse processo acontecendo.
Olhar cada detalhe, cada expressão ou movimento da outra pessoa é algo simplesmente irresistível… e se apaixonar  é bom demais!

Minha primeira turma

19 de julho de 2010

Esse texto chega um pouco atrasado mas chega. Não é fácil conciliar a vida de pai, namorado, trabalhador, filho, amigo, atleta, fã de cinema, apaixonado por futebol, escritor, et cetera. Vamos lá então.
Quero falar da minha experiência de seis meses como professor de informática voluntário para uma ong que atende a uma comunidade carente em hortolândia.
Foram seis meses de convivência com várias pessoas que passaram pelo curso. Nem todas foram até o final. Na verdade de 8 que começaram apenas 3 foram até o fim. Não sei se as desistências foram por causa do professor ou se foram por outros motivos. Tentarei ir mais perfumado e melhor vestido no próximo semestre pra ver se a desistência cai. (risos)
Os que ficaram até o fim foram: Nilza, José e Antônio. Nilza, uma senhora na casa dos 40 anos(eu acho). José, um adolescente de 17 anos e Antônio, um senhor na faixa ali dos 55 ou 60 anos. Os três por sinal foram os que chegaram com menos intimidade com o computador. Não conseguiam nem mexer o mouse direito.
Confesso que não foi fácil. Precisei dispor de bastante energia e paciência pra fazer com que aprendessem alguma coisa. Vi o quanto é difícil ensinar as pessoas que nada sabem, sobre um assunto que dominamos completamente. Dei mais valor ainda aos bons professores que tive na vida.
Mas no final me senti recompensado. Na última aula vi todos eles ali, mexendo o mouse já com certa habilidade, digitando bem mais rapidamente e já fazendo várias coisas sozinhos. Já estava de ótimo tamanho.
Mas eis que no dia da formatura, eu que já tivera a honra de entregar os diplomas aos meus alunos, ainda sou surpreendido quando o senhor Antônio que me chamou e me disse: “tenho um presentinho pra você, professor”.
Fui lá e recebi emocionado um embrulho com um cartão. Agradeci e ele se foi.
No embrulho tinha uma espécie de uma taça de porcelana com vários distintivos do São Paulo colados. Nós sempre comentávamos dos nossos times antes de começar a aula e ele deve ter se lembrado disso. Mas o maior presente estava escrito no cartão, que nada mais era que um papel branco recortado dentro de um envelope azul:
“De. Antonio
Para Professor Anderson
Obrigado pelo seu trabalho.
Obrigado mesmo”

Eu é que agradeço senhor Antônio. Em agosto começa minha segunda turma…

Filmes, filmes e filmes…

8 de julho de 2010

Toy Story 3 – se o papel de um bom filme é provocar emoções autênticas no expectador, levá-lo a rir ou chorar, ficar tenso ou relaxar, então esse filme é uma obra prima. Encontramos tudo isso e ainda uma lição de vida que poucos filmes ditos adultos conseguem transmitir. Mais um filme maravilhoso da Pixar. Impressionante como nesses 15 anos eles conseguem gerar apenas filmes que vão do bom ao excelente.

4 Semanas 3 Meses 2 Dias – levei alguns dias para digerir esse filme. Ele é mais um dos que falam sobre aborto, mas nunca tinha visto um filme tratar do assunto de uma forma tão realista, com direito a cenas que causam um grande incômodo. Por fim ele provoca um grande debate em nossa cabeça sobre o assunto.

Um Lugar Chamado Notting Hill – assisti a esse filme pela 26ª vez, eu acho. Meus filmes preferidos são aqueles que transmitem belas mensagens, ensinamentos, nos fazem pensar, que tenham um bom roteito, conteúdo e belas atuações. Esse filme até tem algumas coisinhas dessas, aqui ou ali, mas é daqueles filmes água com açucar, bobinhos e com situações meio forçadas as vezes. Mas não sei dizer bem por que, ele sempre me prende na frente da TV toda vez que está sendo exibido em algum canal. Deve ser pela trilha sonora, ou pelo sorriso da Julia Roberts, sei lá…

Pensamentos soltos traduzidos em palavras

7 de julho de 2010

(sim, pra quem já notou, o título é um trecho da música do Jota Quest…)

A Sinceridade – até que ponto vale a pena ser sincero? qual a vantagem de dizer ou expor sempre o que se está pensando ou sentindo? As vezes me pergunto isso. Sinceridade é uma qualidade altamente desejável e muito considerada nas outras pessoas. Mas não é fácil ser sincero.
Sou sincero por natureza. Claro que não saio por aí falando o que penso, o que acho ou como estou me sentindo a toda hora, mas tenho dificuldade grande em esconder, quando algo me incomoda, quando discordo de alguma opinião ou quando estou sentindo algo muito forte, seja alegria, tristeza ou o que for. Quem me conhece sabe disso. Mas penso que o importante é ser sincero comigo mesmo, sempre!

A Tristeza – acho interessante como a tristeza as vezes bate na porta e entra sem avisar e sem motivo aparente. Já tive muita dificuldade em lidar com ela, mas hoje em dia eu consigo rir dessa visitante indesejada. Consigo identificar quando a dita cuja está no pedaço e já trato de me medicar pra não deixar que ela tome conta. Que remédio eu uso? Filmes, livros, dirigir com música alta, correr com fones de ouvido, visitar um amigo, namorar, ficar o mais próximo possível de pessoas alegres, dentre outra coisas. São os “medicamentos” que funcionam pra mim.

O Perdão –  não sou um estudioso de religião e nem tampouco alguém que frequenta a igreja atualmente, mas tive sim minha educação religiosa durante minha formação como pessoa e dela guardo alguns ensinamentos que juntamente com minha percepção atual do mundo e de Deus me fazem chegar ao que irei expor.
Creio que seja um pensamento muito simplista, mas para mim os ensinamentos de Jesus podem ser resumidos em duas palavras: amor e perdão. O amor significa amar as pessoas, a obra de Deus(natureza) e amar a Deus. Perdão significa aceitar os planos de Deus sem julgá-los e continuar a amar e a perdoar.
Claro que existem vários outros significados para a passagem de Jesus por aqui, mas vamos supor que seja só isso. Por que é que mesmo essas duas palavras associadas aos seus atos são tão difíceis de serem entendidas e praticadas por nós seres humanos?
Confesso que já tive muita dificuldade em lidar, principalmente com o perdão, mas hoje consigo entender muito bem seu significado e seu enorme poder. O que me deixa triste é ver pessoas que conhecem bem mais do que eu sobre religião, sobre a bíblia e não conseguem por em prática em suas vidas essas duas palavrinhas.
Seguirei amando e perdoando todos eles. Isso deixa a vida tão mais leve e tão mais gostosa. Pena não serem todos os que possam sentir seu sabor.

Lindas e talentosas 3 – Carrie Underwood

7 de julho de 2010

Ela foi vencedora de uma edição do American Idol. Tem uma beleza estonteante e uma voz maravilhosa e no final dessa apresentação recebe uma emocionante homenagem do compositor e cantor da versão original dessa música.